sábado, 3 de dezembro de 2016

Meretriz

Eu sou a meretriz.
Sou profana.
Sagrada.
Real.
Irreal.
Aquilo que desejas
enquanto caminhas pelos becos.
Aquela que se oferece sem pudor a ti.
A que ri enquanto bolinas outras.
Porque sabe que em
um canto da tua mente,
reina absoluta.
Dou de ombros outro
comprador de sonhos
me solicita.
Deslizo pelo local que cheira
a bebida e cigarros
me aproximo e
ganho uma taça e
o convite para sentar.
Sento-me, cruzo as pernas...
E sorrio.
Os olhos dele pregados no decote...
Minha mente em outro lugar.
Um convite para esticar a noite.
Por que não?
Será só mais um corpo...
Mais alguns beijos...
Mais uma foda.
Enquanto ele se prepara.
Estou distante.
Toques, suspiros, gritos.
Força, melados, suados.
Quando termina, me visto e saio.
Nada me prende, nada me cativa.
Deixei lá no passado...
Essa parte minha.
Caminho com classe por aí...
Vestido preto, saltos...
Batom e mais nada...
A puta em mim hoje
só quer...
O que toda a mulher quer.
Prazer inesquecível.
Se vem acompanhado de dor, ótimo.
Se não vem, ótimo também.
Prazer é meu sobrenome.
Sou a puta que ronda
sua mente pervertida.
Que desperto tuas taras.
Que brinco com seu falo.
E ainda peço bis...
No final da noite...
Volto para a casa.
E no outro dia....
Estou refeita
e em busca
de novos
prazeres
e sentires.


Nenhum comentário: