domingo, 4 de janeiro de 2015

Confissão



Venho te confessar que te amei tanto, tanto mesmo que nem eu mesma sabia que era capaz disso. Mas você preferiu estar em outros braços, outros beijos.
Essa atitude machucou profundamente meu ser. Em um primeiro momento pensei em gritar, esmurrar e todo o resto que acredito eu pessoas traídas sintam. Mas não devo tirar todos por mim, sou intensa demais, me entrego aos sentimentos sem nenhuma vergonha e pudor.
Após passar a tempestade, me refugiei em mim, estive e estou ausente, refazendo meu coração. Hoje nada mais é como antes.
Não lhe tenho rancor, tenha certeza disso, sempre desejei o melhor para ti e será assim sempre, estando eu aqui ou não ou mesmo você.
Sinto um vazio em meu peito. Sinto como se uma parte de mim estivesse perdida por aí. As conversas que temos hoje são superficiais e não diga que a culpa é minha.
Mesmo durante toda essa confusão permaneci, mesmo querendo me livrar desse amor que foi desprezado, permaneci ao seu lado, ouvindo você disser que amava outra pessoa.
Não sabes quantas lágrimas derramei, quanta força de vontade tive de empregar para não me afastar em definitivo. Para não fugir e sobretudo para não ver seu sofrimento.
Quantas vezes me refugiei no silêncio quando meu maior desejo era gritar: Eu estou aqui e te amo!! Mas mantive meus lábios selados. E fui sua amiga somente.
Não podes saber ou mesmo imaginar quantas vezes me desesperei, quantas vezes estive a ponto de mandar tudo para o inferno. Mas, precisavas de mim e fiquei aqui.
Em silêncio, ouvindo que amavas outra pessoa. Após o término, ou melhor durante esse processo, me falastes diversas vezes que eu era louca, que não entendia de nada, que não tinha amor próprio e tantas e tantas palavras que calaram fundo em minha alma.
Sim sou louca, mas quanto ao amor próprio devo lhe dizer que esse eu tenho, porque aprendi a me ver como sou. Aprendi a me aceitar, muito antes de você, sabe realmente me ensinaste muito.
Principalmente a me superar. Em qualquer outra época da minha vida, o que aconteceu seria o ponto final.
Hoje, consigo ver mais além.
Pessoas confundem amor com posse. Outras confundem sexo com amor. E outras ainda jogam seus problemas e carências em cima de quem está mais próximo. Só se esquecem que em um dado momento elas terão de se encarar frente à frente.
Em uma sala de espelhos, onde só um ser pode estar. E sabe por que? Porque essa sala está dentro de nós. Em algum momento a consciência nos apanha e nos mostra o que estamos fazendo. E nos deparamos com os erros e acertos. E é nesse momento que ou renascemos tal qual a fênix ou sucumbimos.
Descobri que renasço todas as vezes, nem sempre como havia desejado, mas sim como deve ser. Minhas escolhas independem de outros. São minhas. As consequências também.
Esse amor que ainda habita meu espírito a despeito de tudo, tem se mostrado forte e corajoso. Muito embora por vezes tenha vontade de extirpá-lo.
Seria muito mais fácil encarar-te somente como um amigo, como um namorado real ou virtual que não deu certo. Tentei pensar assim, mas o coração não pensa. Ele somente sente, pulsa em seu próprio ritmo.
Então fiz um acordo com ele. Sinta tudo o que sentir mas me permita ser forte e manter em mente que estou sozinha. Assim qualquer desfecho que se der, estarei ao menos em pé e de cabeça erguida por haver tentado tudo o que podia e mais um pouco.
Termino essa confissão dizendo que ainda te amo.
Hoje de uma maneira mais sóbria mas com a mesma intensidade de outrora.

Um comentário:

anjo só disse...

.....do fundo da alma !