sábado, 13 de dezembro de 2014

Figurante


Você quer ser amado? Você quer ser respeitado? Bem te dei tudo isso e muito mais. Entreguei a você tudo que sou, ou melhor tudo o que podias suportar. E ao final... Bem acabei sozinha e sangrando. E o que fazes? Nada, brincas com os meus sentimentos, dizendo nutrir algum por esta que te deu mais do que merecias. Chego a conclusão que algumas pessoas não sabem amar. Sabem sim cobrar posturas as quais não fazem a mínima ideia do que seriam.  Machucam quando dizem amar e depois desamam, será que esse verbo existe? Se não existe no dicionário, existe na vida. Não nego que te amo. Não nego também que ser traída não foi uma escolha minha. Que sou alguém fiel por natureza. Pena me entregar a quem não soube receber e cuidar dessa fidelidade. Como dizem que amor de verão acaba logo, nesse momento estou sentindo muita raiva de mim. E sabe por que? Porque acreditei em cada uma das suas malditas palavras,  acreditei no seu amor fictício. E me deixei levar pelo amor que sinto. Mesmo dizendo para você que não daria certo. Mesmo me escondendo, foste me buscar. E agora te pergunto por qual razão? Para me deixar à margem e macular o que essa maldita alma sente? Fico aqui imaginando teus lábios pousados em outros lábios, tuas mãos entrelaçadas em outras mãos. E mesmo agora sabendo que era tudo passageiro dói e dói muito. Aprisionaste meu maldito coração. E agora? Já o jogaste fora, mas não consigo encontrar. Não consigo imaginar onde ele pode estar. E após procurar dentro de mim, descubro que ele está aí contigo, provavelmente jogado de lado como algo que não te serve mais. E mesmo nesse momento, ainda te amo. Idiota que sou. Porque nem ao menos se importas se estou aqui ou ali. Sou só mais uma figurante em tua vida. E nada além... E ao me lembrar dos planos traçados a dor aumenta. E me digo, que sabia o que iria acontecer e mesmo assim abri as portas do meu ser para ti. E agora estou vazia e oca... Olho ao redor e o que vejo são tuas pegadas sendo apagadas pelo vento que te leva em outra direção...

Nenhum comentário: