terça-feira, 20 de novembro de 2012

Pensamentos


Eu as vezes me canso de mim.
Alguém já sentiu isso?
Então em minha tela mental
ou no mundo paralelo que crio nesses momentos,
deixo para trás essa que está em um impasse.
A outra segue em frente sem se dar conta
da que ficou ali parada e quem sabe triste.
A outra quer viver, se aventurar e se libertar. 
Liberdade não condicionada a lugares ou pessoas.
Simplesmente ser e estar livre.
Parece fácil nã
o é mesmo?

Mas quase sempre não é.

Sabe por que?

Vivemos nos castrando e

colocamos a culpa em todo o mundo,

menos em quem deveria comandar sua própria existência.

Quando percebo que estou fazendo isso

me sinto acuada e deixo a outra sair para me reensinar a viver.

Estranho paradoxo.

Já que a outra não deixa de ser eu. 

Não é a primeira vez que isso ocorre.

Mas hoje consigo ao menos identificar esses momentos.

A causa?

Nada específico e tudo ao mesmo tempo.

Enquanto estou nesse ir e vir dentro de mim mesma

vou observando fatos novos e antigos.

Há momentos em que me assusto

com meus próprios pensamentos. 

E outros onde me pergunto

por que não fiz isso ou aquilo.

Engraçado que rememorar

o que já aconteceu hoje não me deixa mais em pânico.

Mesmo as situações mais escabrosas.

Sinto uma serenidade que ainda

não cheguei a identificar de onde vem.

Talvez seja a idade

ou simplesmente a aceitação

de o que passou, passou.

Ah sim! Vivemos falando que o que passou, passou,

mas quase sempre não é bem o que acontece. 

Hoje não sinto pesar ou qualquer outra coisa. 

Há somente um espaço para novas experiências.

E um suspiro profundo.

Resta saber se sou a outra ou eu quem agora escreve...

Em breve irei descobrir...


Nenhum comentário: