segunda-feira, 9 de julho de 2012

Deparando-se com um sádico


Devo assumir aqui que acabei por comprovar que nada de masoquista corre em minhas veias. Sou submissa sem querer almejar nada, além disso, o limite de dor em mim é pequeno. Algumas vezes ultrapasso esse limite por conta de quem me domina, quando isso acontece.

Estar à mercê de um sádico é algo praticamente inenarrável.  Sim é delicioso e temerário ainda mais para as que não têm um lado masoquista, como é meu caso. O peso da mão, o uso da força inerente ao caráter de um deles é algo a ser levado em consideração.  Mas mesmo assim sendo submissa tentei e não me arrependo nem um pouco. Agora estou com o corpo todo dolorido, mas agradavelmente satisfeita. Mas devo levar em conta o que me foi dito: Isso não foi nem mesmo uma meia sessão. Refletindo nessa afirmação constato que em minhas veias corre sangue submisso e só. 

O uso do cinto, do chinelo e o peso da mão é uma dor que extrapola o que possa descrever aqui.

Estive me perguntando se tentaria novamente. Minha resposta foi algo absurdo para mim mesma. Pois ela foi afirmativa.

Os momentos são entremeados de dor e de cuidado. De sexo bruto e de leveza.  As ordens de não me proteger me geraram mais tapas na cara, e pior adorei cada um deles.  Ter o corpo invadido por dedos impiedosos foi algo além do que imaginava e de um prazer que nunca experimentei.

Estou ainda dolorida e ao mesmo tempo apaziguada. Ah! As contradições da alma submissa.  Adoraria nesses momentos que desfrutei da companhia de um sádico, ser masoquista para o inteiro prazer dele, não o sou. E não posso ir contra a minha natureza.

Em outro texto comentei que não sou de gemer e nada desse tipo. Estava errada, dessa vez não só gemi como urrei de dor e prazer. 

Minhas costas doem, tenho algumas marcas. Meus seios estão roxos e doloridos, mas a cada vez que os toco me sinto feliz. Minhas nádegas também carregam algumas marcas. Mas a marca que ficará em mim é do cuidado desse sádico. Da leveza e do carinho expressos em um abraço apertado.  Das palavras mesmo quando elas me definiam como uma chorona. E chorei mesmo de dor, da entrega e por saber que ele sendo sádico o que lhe oferecia era muito pouco.

Então agradeço a esse sádico por ele ser quem é.  Ele me tomou de supetão.  Usou e abusou, mas sempre levando em conta que quem se oferecia a ele era somente uma submissa. Pode parecer não fazer diferença, garanto que fez toda. Se antes o respeitava pela sua postura, agora o respeito pelo que me demonstrou ser.

Embora esteja centrado na obtenção do seu prazer, que muitas vezes é egoístico, como ele mesmo define, esteve sempre atento as minhas reações por mínimas que fossem.

Agora me sinto estranha, estou tentando analisar a mim mesma, e não estou conseguindo ser coerente. Claro que não espero nada além do que me foi concedido. Tenho em mente que não sou o que ele procura. E não posso culpá-lo.  Em um canto escuro de minha alma, guardarei o que aconteceu, terei lembranças lindas desses dias e noites. Sorrio cada vez que me lembro de um tapa, de uma ordem, de dedos invadindo meu corpo de maneiras possessivas e intensas. Sorrio dos seios marcados, das mordidas e por me lembrar de que minha boca e mãos passearam pelo corpo de um sádico. Que mesmo em meio ao seu sadismo, a sua natureza em nenhum momento fui desrespeitada ou algo que o valha.

Não sendo masoquista posso garantir que embora meu corpo inteiro esteja doendo, valeu a pena cada minuto dessa experiência, dessa loucura que é uma submissa se submeter a um sádico natural. E mais faria tudo de novo. Embora saiba que provavelmente isso não irá acontecer. Não há pesar ou tristeza. Somente um corpo inundado de dor e prazer.  E um agradecimento silencioso a esse sádico.

Obrigada por me usar, por me permitir ter estado à sua mercê. Obrigada.

4 comentários:

Natasha Paixão disse...

Oi...

Amei o post!
Muito legal seu blog... Super inteligente e exitante ao extremo kkk

Bem, da uma olhadinha no meu, ainda tá em fase de construção...

http://natyeeumavidadepaixao.blogspot.com.br


Bjs

Natye*

Candy Man disse...

adorei seu blog...
voltarei mais vezes...
beijos doces para vc...

•● ʝµℓΐձ......λ Ðձη¢ձrΐηձ đσ λbΐહறσ ●• disse...

Que lindo...adorei ler cada palavra...

teu blog é maravilhososo!

bjus da julia

Yasmin Sub disse...

Nossa gente só hoje que vi esses comentários...

Bom saber que gostaram...


Pra mim é um prazer ter todos vocês aqui...

Beijos

Yasmin