quarta-feira, 14 de março de 2012

Vivendo!



Ok! Desisti de resistir. Bem que tentei fugir. Na verdade não muito. Só o tempo dirá se agi corretamente ou não. Enfim me ofereceste algo que não soube recusar. E recusaria por que? Por medo. Ou por sentir demais. Mas ah! como me preenches. Mesmo nos teus silêncios. Novamente algo mudou. Não consigo identificar o que ou o como. Só sinto e estou feliz assim. Verdade que me sinto ansiosa, medrosa, acalorada. Verdade também que tentei e muito fugir de ti. De repente me veio o estalo: Fujo dele ou de mim? Pensei, analisei, revirei a lógica e meus pensamentos. Estava confusa. Perdida! Quando do fundo do meu ser algo gritou: Por que se negar o prazer? Por que se negar o sentir? Meu lado lógico e racional entrou em ação: Porque isso normalmente acaba mal e dá mais problemas que outra coisa e depois temos um trabalhão para colocar a casa em ordem. Meu lado emocional também se manifestou: Vai magoar, vai machucar, desestruturar tudo outra vez e por que? Só para sentir algo passageiro e depois ficarmos juntando os cacos de novo. Aí o grito tomou forma e revidou: Quero sentir, quero esbravejar, delirar de prazer, satisfazer minhas taras. Não me importo em ter que arrumar a casa depois e nem mesmo juntar os cacos. Valerá a pena cada vez que estiver com ele, que compartilharmos. Cada vez que ele se aproxima me deleito. Mesmo sabendo que vivemos em pólos diferentes, que muitas vezes encaramos tudo de forma desigual. QUERO isso! E não vou abrir mão! Fugiria de mim e não dele. Mentiria pra mim. E não farei isso dessa vez. Corro o risco de me machucar? Sempre. Mas, não quero resistir ou desistir dele assim. Não posso! Sou uma viciada em sentimentos. E ele desperta todos em mim. Não me importo se ele não irá durar, se ele não está aqui. Sei que preciso dele agora. E cansei de fingir. Vou brincar, rir, chorar, como aconteceu hoje. Mas o mais importante ele estará por perto. Ele está perto. Se tenho medo? Claro que sim. Só que outros sentimentos compõe o quadro. Desejos, sorrisos, palavras doces, sacanagens, olhos vidrados, boca seca, coração acelerado. Se ele não sentir o mesmo, como ele mesmo diz, que se foda! Sinto eu e com uma intensidade a cada dia maior e mais gostosa. Se nos afastarmos, bem, vou lamber minhas feridas, chorar feito criança, mas terei vivido e aproveitado cada momento com ele e dele. Estou maluca? Sim, provavelmente sim. E não me importo. O que quero é viver e sentir o que ele tem me oferecido. Guardá-lo em mim, acariciar, beijar, entregar o meu corpo a ele, para nos deleitarmos num êxtase crescente. Explorar tudo que ele me permitir. Não lingo para o que irá acontecer. Só quero viver intensamente, porque somos assim e mesmo ausentes um do outro, terá valido a pena cada segundo de contato, de entrega aos nossos desejos e sentires. Serei sua cúmplice sempre que me permitires, serei seu anjo e demônio, quantas vezes quiseres. Não fujo mais. Sou assim carinhosa, faladeira, generosa, birrenta, brava, tímida por vezes, nervosa, ansiosa, amante. E não vou embora. Fico porque estou disposta a tudo, a viver e transcender. Fico porque mesmo medrosa e covarde, meu desejo é maior. Essa aventura resolveu voltar a minha vida e agarrei-a porque ela me reflete e me percebe como sou lá no fundo de mim mesma. E isso me deixa feliz, mesmo que o receio me ronde, me deixa feliz. E então vou vivê-la enquanto puder e ele me quiser por perto. Vou vivendo e adorando tudo isso. Esperando o próximo evento com ansiedade e mil idéias em mente. Ele despertou a selvagem em mim, que ninguém conhece... 

Nenhum comentário: