sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Sonhos




Muitos de nós ao acordarem não se lembram de quase nada de seus sonhos, por vezes se recordam de algumas sensações, a maioria lembra com frequência dos pesadelos, com a sensação de medo invadindo o consciente e os fazendo acordar sobressaltados. Alguns também guardam a sensação do cair e acordam procurando se segurar em algo. No começo eu também pouco me lembrava dos meus sonhos, hoje, em compensação, dormir e sonhar, para mim são sinônimos. Admito que alguns sonhos não tem conexão e pior me deixam sem saber pra onde ir ou mesmo o porque deles nesses momentos, mas invariavelmente com o passar do tempo encontro essas conexões perdidas ou não entendidas por mim. Sonhar é realmente uma arte. Aprender que tudo é interligado leva tempo e perseverança, embora falar seja fácil. Hoje procuro meditar nos sonhos dos quais me lembro. Sonhar virou uma viagem. Uma viagem astral. Por vezes assustadora mas quase sempre instigante. Claro que quando se aprende a sonhar tudo fica mais fácil. Meditação e músicas relaxantes são ótimos para isso. Ter algo em mente também. Quando quero muito uma orientação. Medito em cima do meu problema e depois o esqueço. Ouço minhas músicas que não tem nada a ver com relaxamento, assisto filmes ou leio um bom livro. Ou seja desligo minha mente do objetivo. Muitas vezes vou ter alguma resposta duas ou três noites depois. Isso quando a resposta parece nunca chegar. E de repente, um sonho desconexo me faz parar e ter aquele estalo. E digo é essa a resposta. Parece simples não é?? Sinceramente não é difícil, mas também não é como ligar e desligar uma televisão. As imagens nos sonhos podem vir misturadas com a realidade, vir do subconsciente, vir dos desejos e monstros que escondemos de nós mesmos. Então devemos aprender a distinguir tudo isso. É como atravessar um deserto com pouca água e muita sede... Uma tarefa árdua, mas que vale a pena. Aos poucos, muito aos poucos, você vai se habituando com o chamado mundo do sonho ou mundo astral. Quando isso acontece naturalmente se aprende a distinguir vários pontos. Com o passar do tempo também se pode ter uma consciência maior sobre os fatos ocorridos nos sonhos, e com isso se relacionar melhor consigo mesmo e com os outros.  Todos carregamos as chaves para nos tornamos melhores ou piores, depende muito da ótica que se usa. Meus sonhos já me mostraram tanto o chamado bem como o tal mal. O que mais aprendi com eles e observando o que me cerca é que a dualidade faz parte da humanidade. Essa coisa de querer ser santo sempre é idiotice ou pior ainda é um grande engodo para traças os coitados que caem nas garras de seres assim...

Nenhum comentário: