sexta-feira, 20 de maio de 2011

Quimera

Novamente estou aqui buscando só os Deuses sabem o que e o por que dessa busca insana. Disse a mim mesma esqueça, deixe pra lá, saia desse mundo. Mas algo mais forte que eu me força a ficar, a permanecer. Talvez minha necessidade do maldito pertencer. Talvez o querer ser castigada. O precisar sentir o comando na voz do homem que me toma de assalto.Sem isso sou o que? Sim, sou mulher, fêmea até, mas mesmo aí falta algo. Falta a força e a impetuosidade do Dominador. O que me faz vibrar é saber que Ele sabe mandar, sabe me manejar e extrair de mim a puta que sou. Isso pode parecer feio ou impróprio, eu não ligo, pois adoro, aos leigos e desavisados, mas para essa submissa é música, regada a vinho e velas. Um cenário perfeito. Para se alcançar uma noite maravilhosa. Onde todos os problemas do cotidiano ficam trancados do lado de fora e só é permitida a entrada do Dominador e da submissa. Ela preparará a banheira para que Ele relaxe, com a água na temperatura adequada. Depois do banho, ela gentilmente o leva até a cama para massagear o corpo. Usando óleos aromáticos com um toque amadeirado. Passeia pelo corpo Dele vagarosamente, se deliciando com cada curva, cada músculo. Por vezes suspira. E Ele sorri. Sabendo exatamente o que SUA submissa está sentindo. De repente Ele faz um movimento, ela se afasta e se ajoelha. Abaixa a cabeça Ele ordena que se aproxime. Ela vai até o Dono de quatro, já sabendo qual será sua tarefa. Se enrosca em meio as pernas Dele, e o abocanha, Ele se delicia, pois adora ser sugado, assim ficam os dois por um longo tempo. Ela adora o que faz e literalmente se lambuza. Limpando tudo depois sem deixar vestígios. Ele novamente está sorrindo e lá vem um tapa, daqueles de estalar. E ela intimamente sorri, sabendo que o Dono adorou sua performance. Ele se afasta, ela se sente nua sem a presença Dele. Estranho,  os dois estão no mesmo ambiente mas quando Ele se sai ou se ausenta ela sente um vazio enorme. Deve ser coisa de submissa mesmo. Ele volta, ela o olha com veneração, está de joelhos porque é assim que Ele gosta. O Dono entrega um embrulho a ela dizendo para abrir. E aí meu sonho termina e me vejo sozinha. Então o que me resta é relatar meu devaneio... Ainda bem que ainda posso sonhar e ter minhas quimeras...

Nenhum comentário: