terça-feira, 25 de novembro de 2008

Não sei... sei



Não sei em que momento entraste no meu pensar.
Não sei em que noite me deparei com teu olhar.
Não sei em que dia me rendi ao teu comando.
Sei que de repente tudo mudou, as cores mais intensas.
Meu corpo mais ágil, pronto para agradar.
Ajoelhada, em silêncio, esperando tua chegada.
Sinto teu toque, me vendas os olhos,
passas o gelo levemente em minha pele...
A escuridão é bem vinda, tu me guias pra onde queres.
E eu me abandono ao teu cuidar, ao teu domínio.
Sinto a paz e a felicidade do pertencer.
Cerro os olhos, sentindo teu gosto
e teu cheiro entranhados em mim.
É uma delícia, puro tesão, quando possuis
este corpo que é teu completamente.
Quando invades esse ser que só quer
lhe proporcionar prazer sem igual.
Não importa se há ou não sexo,
enquanto me conduzes, me sinto segura.
Não há a insegurança, não há o receio
de que me abandones...
Sou tua desde há muito tempo.
Por isso toda e qualquer forma
de prazer que te agradar,
que te satisfezer, me fará imensamente feliz.
Já é madrugada, vens chegando....

Nenhum comentário: