quarta-feira, 13 de junho de 2007

Paixão



Falar em paixão, é de certo modo fácil.

Descrever, escrever...

Mas quando ela sai dos domínios do papel.

Aí sim podemos sentir sua totalidade,aí sim vem as dúvidas.

Viver ou não viver?Se permitir ser arrebatado?

Ou se agarrar ao já sabido e sentido?

Sentir o corpo em erupção ou se forçar a calar?

Mas chega um momento em que nada pode refreiar a paixão,

ela toma posse do ser tão completamente.

Que ele se entrega,

o gozo vem da alma,

o corpo se sente saciado.

Há necessidade de coragem, sem dúvida,

para se permitir sentir tudo o que a paixão acarreta,

tudo o que ela nos concede...

Sejamos vitoriosos e corajosos.

Não nos escondamos de nós mesmos.

Porque no fundo seria perca de tempo.

Perder o tempo de ser feliz, de se sentir vivo.

E o tempo é implacável...

Vivamos a paixão intensamente.

Assim seremos por alguns instantes divinos,

maravilhados diante do corpo do ser amado.

Que os olhos reflitam paixão.

Que os dedos demonstrem paixão.

Que os corpo uno sejam paixão...

E que possamos ver tudo isso refletido

no ser que despertou essa paixão,

quebrando a monotonia que tantas vezes nos impomos...

Nenhum comentário: