terça-feira, 1 de novembro de 2016

O que buscas?



O que buscas?

Uma mulher bonita?

Uma mais nova?

Cheia de curvas?

Seios empinados?

Bunda redonda?

Nem sei mais o que...

Então com certeza seu lugar não é aqui.

Sou alguém vivida.

Amo meu corpo e minha alma.

Então para me domar...

Terás que ir além do que vês.

Saberás navegar pelo meu corpo?

Posso me dobrar, ajoelhar.

Para que isso aconteça?

Preciso de quem me veja a alma.

De quem sinta a necessidade em possuir.

Não me venhas com cartilhas...

Vivo em meio a burocracia.

O corpo anseia pelo toque devasso.

A alma para se render.

Precisa de outra que a entenda.

Palavras não são nada.

Diante de um olhar.

Do toque.

Do castigo.

Do afago.

Meus pensares estão confusos.

Talvez seja porque hoje é

dia das bruxas.

Talvez porque em meu peito

algo grita.

Primal como a fêmea que escreve.

Suave como a submissa é.

E cheia de garra como toda mulher.


Nenhum comentário: