sábado, 29 de outubro de 2016

Caçador

Te ofereci não só meu corpo.

Mas minha alma no copo

Que culpa tenho eu em ser intensa?

O mea culpa não me cai bem.

Gosto de entregar-me inteira.

Sem castigo ou recompensa

De sentir as mãos presas.

As pernas separadas com um quê de violência.

Fazer o que se sou puta?

mas sou para quem tem fibra.

Para quem sabe despertar indecência 

o amor pode ser disputa

Ouvir o som do chicote me faz gozar.

A privação dos sentidos, deliro.

Entrego os pontos...me surra

A fêmea que há em mim urra.

Uivo para a lua. Suspiro

Sou a caça...de um vampiro

Mas, quem é o caçador?


Nenhum comentário: