sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Sem você

Maldita insônia que me leva a perceber que por mais que te ame de nada adianta. Já não estás aqui. Estás nos braços de um novo amor. Hoje me vês como um peso, uma parte do teu passado. Dói não posso negar e dói muito. Sei que o tempo irá me ajudar a superar. Mas mesmo assim meu coração bate descompassado, me afasto para não atrapalhar teu novo caminho. Observo de longe desejando do fundo da minha alma a tua felicidade. Não verás minhas lágrimas. Não saberás mais de mim. Estás vivendo outra história e cabe a mim sufocar esse amor e seguir em frente. Nada de novo. Nada. Restou somente um vazio em mim. Permaneço em silêncio quando a minha vontade é gritar. Fecho os olhos e vislumbro ainda teu sorriso. Maldigo a mim mesma por permitir que atravessasses minhas defesas. E agora? Agora me resta o vazio que me corrói. A sensação de ser deixada para trás. Sabia que isso iria acontecer. Já conheço essa maldita história de coração partido. E mesmo assim insisti. E por que? Idiota que sou!! Amo e não nego. Mesmo sabendo que não passei de mais uma em tua vida. Mesmo tendo sido passageira. Pena que não é esse o caso comigo. Mas já deveria saber que seria assim, não é mesmo? Finges que está tudo bem, quando sabes que não. Mas talvez, ou melhor com certeza, está tudo bem contigo. A única a sair machucada fui eu. Por acreditar em palavras vãs, por confiar no que dizias. Tola! Entregar-me sem nenhum tipo de cautela. Somente eu agora sinto tua ausência. Teu distanciamento tem me machucado constantemente. Então o melhor a fazer é manter a distância. Esperar minhas feridas cicatrizarem e olhar o mundo através das minhas próprias grades. Já não quero mais amar, embora ame, já não quero mais acreditar em nada. Fecho-me a tudo e a todos. Não sou destinada ao amor e de nada adianta fingir o contrário. Sentada aqui permito que as lágrimas invadam meu rosto, por saber que não há ninguém para ver... Volto a ser solitária, como sempre fui. Volto ao meu mundo e dessa vez joguei as chaves fora. Ninguém entra e ninguém sai. É o melhor a se fazer. Estou fechada em mim mesma. E o que ouço são meus gritos e soluços. Sei que o tempo irá curar, só não sei se suporto até lá. Aprendi que não devo me permitir a sair do meu mundo. Serei sempre solitária e solidária. Grande idiota que sou!! Fecho em copas escondendo o sofrimento no intuito de sobreviver mais um dia... Mais um dia sem você. Mais um dia...

Nenhum comentário: