domingo, 2 de dezembro de 2012

Tempestade



Hoje foi um daqueles dias.
Parecia tudo normal.
Casa em ordem.
Almoço.
Conversas.
Tudo calmo.
Só que dentro de mim se armava uma revolução.
Dancei.
Cantei.
Ri.
Brinquei.
E depois me aquietei.
Gosto desses momentos.
Do silêncio que encontro dentro de mim.
Aos poucos fui voltando para esta realidade.
Estava calma e serena.
Mas, algo em mim avisava que vinha tempestade por aí. 
Sou sensível a mudanças no tempo.
Não sei explicar mas, desde menina amo tempestades.
Os olhos brilham, o coração pulsa mais rápido.
A água e o vento me fazem bem mas, tem o outro lado, fico mais irascível, mais aguerrida.
E nesses momentos prefiro ficar no meu canto.
Sentindo essa mudança.
Um fluxo repentino.
O corpo todo sente a descarga de energia.
Normalmente finjo que não noto as idiotices que leio ou ouço.
Só que nesses momentos estou à flor da pele, e quando dou por mim, já falei, xinguei e mandei pastar. Procuro manter a calma, a serenidade, porque me conheço. 
Quando estou nesse estado ajo por impulso.
Falo o que penso ou estou sentindo sem medir palavras.
Sou ação pura.
Não refito.
É como se estivesse em um campo de batalha e necessitasse sobreviver.
Ataco e retomo a postura para a próxima leva.
Ao perceber que estou nesse estado, procuro me manter afastada dos outros.
Pelo simples fato de não querer magoar o outro.
Só que infelizmente existem aqueles que não entendem os silêncios, as dicas ou mesmo a forma como me expresso.
Resultado?
Briga.
Discussão.
E por vezes expulsão da minha vida.
E não há volta.
Afinal me conheço.
Depois que explodo já era. 
Nesse estado é pior ainda. 
Porque sou simplesmente um fluxo em constante mutação.
E não consigo me parar e nem quero.
E como as coisa vem mudando muito rápido por dentro e por fora da minha pessoa, simplesmente não sei o que acontecerá.
Tomei atitudes nesse momento levada pela minha intuição.
Só houve um setor em que barrei o fluxo.
Resultado me ferrei.
Preferindo o silêncio.
Se fiz bem ou não.
Não sei.
O momento passou. 
Analisando agora, se não fiz, não era pra ser feito agora.
Ainda mais com essa selvageria pulsando em meu ser.
Talvez me arrependa, mas acho que não.
Tudo tem seu momento.
Deixei a tempestade passar e com isso respirei melhor...


2 comentários:

Anônimo disse...

AMEI!!
Muita energia impregnada! Muita sinceridade na explosão de sentimentos.

La Rosa Carla disse...

Sem vc aqui não tem comentário rsrs

Beijos