sábado, 1 de dezembro de 2012

Permaneça


Vou te dar um aviso! Sai dos meus sonhos, por favor! Não suporto mais esses sonhares. Essa vontade que atordoa meu ser. Teu toque evoca lembranças que fazem meu corpo reagir. Tua voz me enebria. Fico sem saber para onde ir. E só encontro um caminho. Você! Já tentei de todas as formas te banir, esquecer e riscar de mim. Sou traída pelos meus sonhos, que alguns dizem vir do inconsciente. Então quero saber porque estás tão impregnado nele. Não te chamei. Não clamei por ti. Vivia calmamente. Nada de emocionante ou frustante. Até povoares meus sonhos. E pior quando não te vejo neles me sinto perdida. Inferno!!! Mas já não suporto mais. Não tenho forças para me desvencilhar de ti. Então venho aqui te pedir me deixes partir. Nada te prende a mim. Mas, em compensação estou presa a você em cada respiração minha. Esse vício. Essa loucura que não me abandona. E será que quero que abandone? Hoje sim. Mesmo assim me pergunto se seria o melhor. Faço a pergunta já sabendo a resposta. E entro em guerra comigo. Meu lado racional diz: O melhor é se libertar dessa quimera. Desse ciclo vicioso. Penso e repenso. Quando estou cedendo vem meu lado emocional ou espiritual e diz: Liberdade! Onde encontras mais liberdade do que com ele? Onde estás mais me paz e mais feliz? Paro e de novo não querendo admitir tenho a maldita resposta. Permaneço entre-mundos. Lá o tenho por perto. Sinto seu cheiro, tão bom, tão familiar, tão meu... Aqui há um vazio que ninguém preenche. Como conciliar? Não sei a resposta. Aliás não sei nada. Só o que sinto. Só essa ânsia por você e esse medo de perder. Mas perder o que? Se são somente sonhos ou quimeras? Desisto. E esqueça o aviso. Permaneça e me faça feliz onde sempre nos encontramos. Onde posso sentir tuas mãos percorrem meu corpo. De onde trago forças para continuar aqui. Permaneça. Preciso da sua força para não desistir. Para atravessar esses caminhos. Permaneça comigo. O resto nada importa. Só nós dois. Em algum lugar. Em algum universo. No todo. No nada. Só permaneça.


Nenhum comentário: