quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Alguém



Decidi que vou te banir dos meus sonhos. Nada quero contigo. Chega dessa dependência. Pensando isso durante o dia todo, passei por ele sem nem notar que simplesmente se esvaiu. Chego em casa, como alguma coisa, jogo conversa fora, tomo banho, ahhh que delícia de banho, daqueles que limpam até a alma. Decido ouvir música e navegar pelas redes sociais. Nada me afeta até ver uma imagem. Algo estala em minha mente. Fico admirando aquela imagem por um tempo, de repente ela vira meu papel de parede. Fecho todos os programas. E fico admirando e seguindo o embalo das músicas. Sem perceber caio no sono. E então ele aparece. Lindo e marcante. Então me pergunta:
- Então não queres mais saber de mim e vai me banir dos teus sonhos?
Fico olhando para aquela figura sem saber o que respondo, abaixo a cabeça sem abrir a boca. Mina bravata agora me parece tão idiota. 
- Estou esperando uma resposta. - Diz ele calmamente, e toca meu queixo levantando meu rosto.
-Ferrou tudo, não tenho capacidade de negar o que sinto aqui. - Penso nesse momento.
Ele sorri e me convida a caminhar. Andamos em um belo jardim. Sinto o cheiro da terra e das flores. Não falamos, só estamos conectados de alguma forma, encontramos uma árvore enorme e nos sentamos embaixo dela. A grama ali parece um tapete com vários tons de verde. Ainda estou em silêncio com a pergunta pairando no ar.
- Então? 
- De verdade?
Ele balança a cabeça e cruza os braços esperando uma resposta. Noto seus cabelos, os olhos, o modo como esta sentado, a suavidade e força que vem dele. Então resolvo falar:
- Estou perdida. Quanto mais tempo passo com você mais tempo quero passar. E essa tortura está sendo difícil de suportar. Ao mesmo tempo que quero muito estar aqui, não quero só isso. Quero tocar e ser tocada. 
- Quer parar então? - De repente seu rosto está duro e insensível. 
- Não sei! Quero e não quero. E o que você quer? Afinal você sempre está nos meus sonhos. Mesmo quando não deveria estar. - E sorrio esperando uma resposta.
- Estamos na mesma sintonia. Se quer saber já tentei me afastar. Até consegui durante um tempo mas quando você me chama não resisto e acabo indo te encontrar.
- Ah! Eu me lembro do tempo em que esteve ausente. Era triste dormir e não sonhar contigo. Não poder tocar ou estar contigo. Mas ao mesmo tempo era bom. Tudo bem que acordava com uma sensação de vazio tão grande que passava o dia te xingando. 
Ele ri e pergunta:
- E agora quer que eu não volte. Por que?
- Agora estou me perguntando a mesma coisa. E ainda não encontrei uma resposta satisfatória. Talvez precise de algo diferente ou minhas necessidades estejam afetando meu raciocínio.
- Quais necessidades? Seja clara por favor. - Seus olhos brilham de maneira sombria e me fuzilam.
Em pensamento me digo: - Por que fui começar isso? Se não consigo manter a clareza com ele?
- São várias.
- Pare de enrolar. Embora saiba as respostas quero ouvir de você. Vamos lá é sempre corajosa. Por que agora resolveu se esconder?
Aquela pergunta me deixa com raiva e meus pensamentos se transformam em palavras:
- Você é engraçado sabia? Se sabe quais as minhas necessidades por que toda essa conversa? Mas, irei responder. Preciso sentir em meu corpo o toque, o beijo, o sexo, a vontade, o desejo e depois a satisfação. Será que faltou alguma coisa, Senhor Espertinho?
E ele está rindo de novo. Que raiva! 
- Por que está rindo de mim? Posso saber?
- Porque tens tudo isso e sabes disso muito bem. Sabes como acordas depois de uma noite comigo. Sabes que te satisfaço. Sentes o toque, o beijo. O sexo é sempre maravilhoso. Desejo sempre é nosso convidado assim como a vontade. Então tenho de rir mesmo, não acha?
Acho que agora quem está fuzilando com olhar sou eu! Ele brinca de esconde-esconde comigo. Enquanto penso e peso as suas respostas. Tenho como negar? Não...
- Você tem razão. Não há como negar.
- Então ainda está num impasse?
- Não sei.
Ele se levanta e me estende a mão que aceito. Voltamos a caminhar em silêncio. Em determinado ponto ele faz com que paremos. Nos abraçamos, já sei que vou acordar, nos beijamos. E então ele diz:
- Descobriremos sua resposta mais tarde.
E some, acordo sobressaltada. Estou olhando para aquela imagem. E vejo seu sorriso. Já sei a resposta, mas só a direi no nosso próximo encontro. Afinal que graça teria não poder contar a Ele diretamente? Sorrio e vou me deitar para sonhar mais um pouco... E me encontrar com Ele novamente...

2 comentários:

☠Neith War☠ disse...

MARAVILHOSO!
Como amo poder sentir estas palavras...elas parecem me dar esperanças..mesmo que sejam a sua história, é como se me mostrasse algo mais...perfeito!

La Rosa Carla disse...

Bom saber que você gosta e se identifica Neith!!!

Beijos