terça-feira, 19 de junho de 2012

Opostos

Devo te confessar
que minhas noites
eram todas iguais
Antes de entrares
em minha senda
Não via diferença
entre dias e noites
Agora!
Fico aqui torcendo
para que a noite chegue.
Há momentos em que
te insulto em meus pensamentos.
Mas meu corpo insano
reage sem que eu o domine.
Como pode isso?
Como alguém me toma de assalto assim?
Ainda mais agora
em que havia fincado pé
de que isso não aconteceria.
Pareces um pesadelo, sabias?
E confesso também há
momentos em que te odeio.
Profunda e visceralmente.
E me esforço para
manter o equilíbrio.
Fecho-me em copas.
Ataco sem perceber.
Viro as costas
dizendo o que não quero.
E calando o que queria dizer.
Por vezes quase me entrego
e conto tudo, mas,
no último instante,
me calo.
Aí fico me dizendo
isso mesmo
mantenha essa
boca fechada.
É mais seguro.
Mais sensato.
Mais uma noite
se passa.
Mais silêncio.
Mais um desejo.
Mais uma onda
de raiva e calor.
Vou parar com isso.
Mas como?
Contando?
Não mesmo.
Posso ser ignorada.
Que inferno!
Que paraíso!
Tudo junto!
Então me contas
tuas peripécias
e sem que perceba
estou rindo de
tuas histórias,
tuas manias,
teu jeito.
Hora de calar.
Hora de serenar.
Lá vem a manhã.
Sou chamada
a realidade.
Caço minha cama.
E juro pra mim
que banirei-te
dos meus pensares.
Estou enganando quem?
A mim mesma.
Pois quado a noite
chega lá estou
te esperando,
te necessitando.
E tudo por que?
Por nada.
Por tudo.
Não acreditas
em nada
assim como eu.
Acreditas em tudo
assim como eu.
O que faço?
Já sei!!!
Um banimento.
Só há um pequeno detalhe:
Como banir o que se quer?
Como exorcizar o desejo?
Como parar de ansiar?
Não sei, e isso me dá
muito ódio.
Agora vivo assim
Entre amor e ódio!
Não quero isso.
Fugir adiantaria?
Não!
Entregar-me?
Não, até porque
não sabes quem sou.
Pensamentos me levam
até a cama onde
simplesmente
caio e sonho!
Sonho não!
Não quero sonhar!
Desperto coração na boca.
Saia daqui! Suma!
Não aguento mais
essa insanidade!
Debato-me
entre ir ou ficar.
Entre o sim, o não
e o pior de todos
o talvez!
Chega!
Não vou acalentar
sonhos ou pesadelos.
Suspirando me levanto
já pensando quando
irei te ver de novo!
Que mania essa a minha!
Esses altos e baixos
me deixam exausta.
E sem saber o que fazer.
Resultado:
continuo aqui entre
dois opostos.
Torturante.
Desesperador.
Excitante.
Delicioso.
Amargo.
Sarcástico.
E continuo aqui....

2 comentários:

O caminho de perséfone core disse...

Yasmin!
Fazia tempo que não passava aqui no seu cantinho...vc mudou tudo! Gostei! Está tudo tão claro, iluminado, belo.
E seus sentimentos, como sempre intensos, profundos.

Beijos!
{perséfone core}_DC

Yasmin Sub disse...

Ah que bom que gostou querida {perséfone core}_DC meus sentimentos são sempre assim.

E talvez por isso esteja vivendo esses opostos....

Não é fácil lidar com isso mas ao menos tento, procuro não sair correndo rsrs

Beijos

Yasmin