domingo, 4 de março de 2012

Loucura



Vem me conhecer.
Convido-te a  passa por aquela porta.
Sim, bem de mansinho, caminha ao meu lado e escuta minha voz.
Enquanto sussurro ao vento, meu companheiro que te mostre quem sou realmente.
Não se assuste não vim te roubar nada, somente ofertar meu seio, meu regaço.
Onde encontrarás tudo o que necessitas.
Deixa-me percorrer teus labirintos, liberte-se dos seus medos e conheça o que posso te dar. Reconheço teus anseios e medos.
Já os vivi todos.
Já percorri essas salas vazias, esses lugares podres que teimam em continuar em pé mesmo estando em frangalhos.
Sou a Loucura, muito prazer.
Em meu mundo tudo é permitido, não há verdade ou mentira.
Qualquer prazer é válido.
O pecado se já existiu saiu correndo daqui, com medo dos meus olhos.
E na verdade nem sei bem porque.
Só o mirei uma vez e creio que com desdém, será por isso?
Vem, te entrego meu corpo, que embora seja muito usado se renova a cada lunação.
Não tenha medo.
Não é necessário me enfrentar.
E sim entrar num acordo comigo.
Posso te dar todos os sonhos, sonetos, cantigas e o que mais quiser.
Vem dançar comigo.
Aceita uma taça de vinho?
Está uma delícia.
Meu leito que rescende a  jasmins está nos esperando.
Quero conhecer e percorrer teu corpo com a lentidão com que o mundo foi criado.
Quero que conheças meu calor e minha frieza. Vem, estendo a mão e te dou um sorriso.
Aceita meu convite.
E conhecerás algo que sempre esteve enterrado no teu próprio eu.
Vem!!!

Nenhum comentário: