quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Dominação e Submissão


Ser submissa nada tem a ver com fraqueza, muito pelo contrário. E sabe por que? Vou tentar explicar mais uma vez aos que se acham os fortes. Minha lascívia ultrapassa os muros do meu corpo indo ao encontro de quem possa me forçar. E só quem tem gabarito para me domar, poderá me sentir entregue e fiel como uma cadela. Alguns devem pensar como é fácil se dobrar uma mulher. Ledo engano. Fui forjada no aço e para encontrar minhas pétalas reais, necessariamente terá de passar por ele. E garanto que não é nada fácil ou agradável. Sou suave como sugere meu nick, sou como uma flor. Depois que se consegue atravessar o aço. Sou menor do que alguém? Não mesmo. Tomei uma decisão de cara limpa. Sabendo que não seria fácil mas, adorando cada nova sensação. Sem vontade??? Pelos Deuses e Demônios que conheço e que irei conhecer, minha vontade é férrea. Então só alguém com a mesma têmpera poderá me submeter. Se sou sombra, devo ser a do dominador, porque sem mim ele também não existe! Ambos precisam um do outro. Ambos comungam da mesma decisão cada um em seu devido lugar. Se engana quem pensa que sombra é sempre rasteira. Ela cresce e pode subjugar quem não tem o dom de lidar com algo tão efêmero e porque não dizer assustador? Quem já teve de encarar a própria sombra sabe do que falo. Admiro muito o Dominador que sabe identificar a fêmea na mulher. Porque aparentemente são a mesma coisa. Mas só na aparência. E as aparências enganam. A fêmea se transforma em cadela no cio, em porca que gosta de se lambuzar e em tudo que o Dono quiser, desde que ele saiba quem é e conheça sua submissa. Quanto a conhecer a mulher, é conhecer outra faceta da submissa. É poder admirar todo o conjunto sem perder o foco. Convenhamos que é uma missão e tanto. E nesse ponto digo que não é qualquer um que consegue. E o mesmo vale para o homem, porque a maioria de nós conhece o Dom e quando passa disso se perde. Não consegue assimilar que embora sejam a mesma pessoa tem prioridades diferentes. Assim como a submissa e a mulher que dividem o mesmo espaço dentro da mesma persona, cabendo aqui ainda a fêmea em toda a sua pluralidade. Viver essas experiências é algo arrebatador. E não me sinto diminuída por ser submissa porque faz parte do meu ser. Como acredito que o Dominador faça parte do Homem. Quando falo em Dominação por favor entendam que tanto vale para o homem como para a mulher, assim também em relação a submissão. Muitos falam que é errado ser submisso, não encaro assim. Vejo como a busca pelo prazer e realização.  Acho que por enquanto está bom... Não vou me estender mais, já escrevi o que pensava, pelo menos por hora.

4 comentários:

SenhoraLúcifer disse...

Tem liberdade para escolher a submissão!
Isto define o quanto es forte.
Beijos gulosos.

Yasmin Submissa disse...

Senhora Lúcifer.

Definiu bem liberdade...

Ser submissa me deu isso...

Beijos

O caminho de perséfone core disse...

"A fêmea se transforma em cadela no cio, em porca que gosta de se lambuzar e em tudo que o Dono quiser, desde que ele saiba quem é e conheça sua submissa"

Uma doce e intensa verdade...

Beijos!
[perséfone core}_DC

Yasmin Submissa disse...

[perséfone core}_DC concordamos rsrsrs.

A submissa sempre é o que o Dono quer e faz dela!!!

Beijos

Yasmin