sábado, 12 de março de 2011

Intento



São quase 6 da matina e ainda não dormi, estou ansiosa e nem sei porque. Talvez seja o fato de viver em eterno sobressalto ou mesmo minha mente que não pára um segundo. Só sei que resolvi escrever um pouco sobre minhas experiências fora do cotidiano normal. Quase nunca me permito vivenciar minhas fantasias ou desejos, vivo arrumando uma desculpa ou deixando pra depois. E quando o depois chega não sei o que fazer. Eu que sempre gostei de experimentar novidades me pego agora travada sem saber bem o que quero ou para onde ir. É muito estranho. Não sei bem se é medo ou simples preguiça. Ou talvez sejam os dois. Demoro mais que o habitual para me decidir se devo tentar ou não alguma mudança na minha vida e com isso ela vai passando e fico só observando. Não quero isso pra mim, não quero quando chegar a hora de acertar as contas comigo estar em débito pois, é isso que estou sentindo. Vou deixando tudo pra depois. Então resolvi que chega, quero viver até porque se amanhã for meu último dia direi o que a mim mesma? Algo do tipo não viveu porque não quis. Então vamos à luta, vamos nos mexer dessa cadeira. Sair de casa e enfrentar o mundo lá fora. Claro que tenho medos, mas quem não tem? Isso não é justificativa. Cansei de me esconder e bater a porta na cara das oportunidades que o destino vez por outra vem trazer à minha vida. Quero e preciso viver do meu jeito, cometer algumas loucuras e coisas assim. Ousar. Dançar. Ir ao cinema. Assistir uma peça de teatro. A vida lá fora me chama, clama por mim. Decido viver a minha vida porque ninguém pode fazer isso por mim. E quanto mais tempo passar trancada aqui menos tempo terei para aproveitar o tempo que me resta. Nossa quanto tempo, quanto querer soterrado embaixo de objeções minhas e também dos outros. Nada disso quem manda aqui sou eu. Tem de ser assim. Afinal só se vive uma vez, mesmo acreditando em reencarnação, essa vida de agora é só de agora. A outra, se é que vai existir será outra. Portanto eu também serei e não me lembrarei do que fiz ou deixei de fazer nesta. O negócio é aproveitar tudo ao máximo, claro mantendo a cabeça no lugar. Sabendo o que estou fazendo e mais ficando inteirada dos meus mais profundos desejos. Só assim poderei dizer ao final valeu a pena. Cada dia e cada noite do meu viver valeu a pena. Esse é meu intento. E assim será!!!

Nenhum comentário: