quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Vampiro



Morte e vida,

vida e morte

não há diferença,

somente um sentir,

o medo do que não se conhece.

Estou entre dois mundos.

Nem morto nem vivo.

Minha sorte foi lançada

há muito tempo e

não peço misericórdia,

muito menos perdão.

Arco com as consequências.

Quando sinto teu respirar e

teu coração palpitar, me agito...

E o universo se resume a ti.

Nada além disso

me interessa ou satisfaz.

És a rosa em meu peito

e o espinho encravado

no meu mais profundo Eu.

Adoro poder sentir-te

enquanto dormes

e és minha todas as noites...

Nenhum comentário: