quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Correntes



Correntes que unem desejo e dor.

Tudo tão intenso, tão profano.

A tentativa do toque e o nada

Fuga, presença...

Ir e vir

Som que cala e grita,

agita o ser de tal maneira,

enlouqueço.

A fala que falha,

o coração palpita...

Sinto as correntes em torno do ser,

me entrego sem pensar,

só sinto...

Permaneço em silêncio

na expectativa,

pulsando,

gemendo,

querendo

que tudo se repita

a cada vez que

ouvir tua voz.

Vou ao fundo de mim

te buscar

só para te entregar

minha submissão.

Nenhum comentário: