quarta-feira, 13 de junho de 2007

Possuída



Abro meu corpo e alma.

Para meu pesadelo dos sentidos.

Entrego-me rendida, olhos baixos, as mãos Tuas.

Encontrando nelas dor e gozo.

O prazer vem de sentir Tua presença.

Nego-me, sim para ser possuída por Ti.

Meu corpo delira, ansiando pelo toque Teu.

Em meus olhos, percebes tudo que me dás...

Esse desejo insano.

Essa agonia sem fim.

O prazer toma conta de mim.

Meu gozo é Teu.

Arrepios me percorrem, ao ver Tua chibata.

O corpo se entrega a ela.

Sabendo que vivem um para o outro.

Meu corpo para Tua chibata

E Tua chibata por me marcar a cada vez.

Não há saída, me inclino.

Entregando o sangue, o corpo.

Entregando a alma e o coração.

Sou Tua, sempre.

Sinto,

Gozo.

Amo,

Sofro.

Peço,

Rio.

Agonizo, tudo por Ti.

Sinto-me plena ao sentir-Te em mim...

Meu prazer delirante.

Minha dor dominante.

Estou aqui ao Teus pés.

Nenhum comentário: